BEM-VINDO

Re-pensar... Re-partir... REFLETIR!







28 de setembro de 2010

EU SOU UM BOSS...TA



Porque eu sou o menor dos apóstolos,
que não sou digno de ser chamado apóstolo,
pois que persegui a igreja de Deus. 1 Coríntios 15:9

Embora eu seja o menor dos menores dentre todos os santos,
foi-me concedida esta graça de anunciar aos gentios
 as insondáveis riquezas de Cristo Efésios 3:8

Esta afirmação é fiel e digna de toda aceitação:
Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores,
dos quais eu sou o pior. 1 Timóteo 1:15


Aqui vemos o progresso espiritual do apóstolo Paulo...

1) menor dos apóstolos
2) menor de todos os santos
3) pior dos pecadores

Essa foi sua jornada espiritual e ministérial... uma literal queda livre! Decrescente...

Apóstolo > santo > pecador...

Quanto mais ele conhecia a Cristo, menor ele se sentia, menos amor próprio, menos apego à hierarquia...
Quanto mais experimentava o poder de Deus, mais ele entendia que precisava diminuir...
Quanto mais vivenciava a graça, mais gratidão tinha, e com mais amor retribuia!

Paulo cresceu, enquanto diminuia...
Se fortalecia, nas dificuldades...
Se gloriava nas fraquezas...

Paulo alcançou o alvo da soberana vocação: combateu o bom combate (contra o pecado), acabou a carreira (do testemunho) e guardou a fé (com bom testemunho).

Ele viveu Cristo!
Sem propriedades, carros importados, mansões em con-demônios fechados...
Ele não perdia tempo, não desperdiçava energia, e muito menos desfocava de sua missão: "fazer tudo para com todos para de alguma forma ganhar alguns..."

Ele entendeu que os últimos são os primeiros e quem quiser salvar a sua vida a perderá!
Que não adianta ganhar o mundo inteiro e perder sua alma!
E que no fim, o maior é aquele que serve!

O resto é mentira religiosa, farisaica e evangélica...

24 de setembro de 2010

OVERDOSE DA GRAÇA COM SANTO AGOSTINHO

Aurélio Agostinho

Agostinho é uma das figuras mais importantes no desenvolvimento do cristianismo no Ocidente. Em seus primeiros anos, Agostinho foi fortemente influenciado pelo maniqueísmo e pelo neoplatonismo de Plotino,[3] mas depois de tornar-se cristão (387), ele desenvolveu a sua própria abordagem sobre filosofia e teologia e uma variedade de métodos e perspectivas diferentes.[4] Ele aprofundou o conceito de pecado original dos padres anteriores e, quando o Império Romano do Ocidente começou a se desintegrar, desenvolveu o conceito de Igreja como a cidade espiritual de Deus (em um livro de mesmo nome), distinta da cidade material do homem.[5] Seu pensamento influenciou profundamente a visão do homem medieval. A Igreja se identificou com o conceito de "Cidade de Deus" de Agostinho, e também a comunidade que era devota de Deus.[6]
Na Igreja Católica, e na Igreja Anglicana, é considerado um santo, e um importante Doutor da Igreja, e o patrono da ordem religiosa agostinha. Muitos protestantes, especialmente calvinistas, o consideram como um dos pais teólogos da Reforma Protestante ensinando a salvação e a graça divina.
Santo Agostinho é chamado de o Doutor da Graça, por sua compreensão sobre o tema.

"TARDE VOS AMEI,
Ó BELEZA TÃO ANTIGA E TÃO NOVA,
TARDE VOS AMEI!
EIS QUE HABITÁVEIS DENTRO DE MIM,
E EU, LÁ FORA, A PROCURAR-VOS!
DISFORME, LANÇAVA-ME SOBRE ESTAS FORMOSURAS QUE CRIASTES.
ESTÁVEIS COMIGO E EU NÃO ESTAVA CONVOSCO!
RETINHA-ME LONGE DE VÓS
AQUILO QUE NÃO EXISTIRIA,
SE NÃO EXISTISSE EM VÓS.
PORÉM, CHAMASTES-ME,
COM UMA VOZ TÃO FORTE,
QUE ROMPESTES A MINHA SURDEZ!
BRILHASTES, CINTILASTES,
E LOGO AFUGENTASTES A MINHA CEGUEIRA!
EXALASTES PERFUME:
RESPIREI-O, A PLENOS PULMÕES, SUSPIRANDO POR VÓS.
SABOREEI-VOS
E, AGORA, TENHO FOME E SEDE DE VÓS.
TOCASTES-ME
E ARDI, NO DESEJO DA VOSSA PAZ"

CRISTIANISMO SEM PODER (A. W. TOZER)


“Um cristianismo sem poder não faz nenhuma diferença fundamental na vida de um homem. A água pode mudar de líquido para vapor, de vapor para neve e de novo para líquido, e continua fundamentalmente sendo a mesma coisa. Assim, o cristianismo sem poder faz no homem diversas mudanças superficiais, porém, deixando-o exatamente igual ao que era antes”.
A. W. TOZER

23 de setembro de 2010

Luz, camera, ação...


Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam
as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.
(Mateus 5:16)

Jesus revolucionou a proposta religiosa da humanidade...
Suas palavras nos trouxe uma visão de Deus incomparável...
Foi o óculos 3 D da época!

Todas as outras religiões tiveram suas versões sobre Deus, e todas elas apontavam para Deus, dizendo: "Aquele é o caminho para Deus, siga-O";
Mas Jesus, por sua vez disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida".
Deus não estava do lado de fora, em algum lugar, estava dentro... Estava Nele, era Ele!

E sendo a luz que ilumina todo homem, Ele foi ainda mais fundo na existência humana, e nos disse:
"Vós sois a luz do mundo", e ficamos boquiabertos, sobressaltados e atônitos...
Eu??? Sim, você!

Um Deus que não somente existe, mas no qual coexistimos...
Que conhecemos e experenciamos, muito mais que simplesmente experimentamos...
Pois temos plena relação e intimidade!

Essa proposta revolucionária,  fala de um Deus que não somente me ilumina, mas que torna LUMINOSO...
Eu não somente recebo dessa luz, mas a reflito...
Não é uma luz absorvida ou uma energia retida, é um convite para gastar-se, queimar-se, comunicar-se, iluminando tal qual fomos iluminados...

Salvação não é a perturbadora sensação de acender um fósforo na mais completa escuridão,
e cuidar de todas as maneiras para que ele não se apague com o vento...
Salvação não é guardar nossa luz, é disseminá-la...

Salvação é a geração de energia viva, um esforço de produção incontida de testemunho do que Deus fez e faz, por mim, em mim, e através de mim, para alcançar a todos...

Salvação é a junção do comburente da graça,  com o combustível do Espírito  e a Energia da vida - que são as circunstâncias que Deus usa, como ambiente propício, o lugar estratégico e o momento exato, para enfim entrarmos em combustão e revelarmos a vida de Deus em nós.
Traduzirmos tudo que Deus é, sua vontade perfeita, seu amor incondicional, sua sabedoria gloriosa, em forma de TESTEMUNHO EFICAZ.

Quando associamos esses elementos Glorificamos a Deus, à medida em que as pessoas vêem as BOAS OBRAS que Deus opera através de nós, e não as Obras Boas que nós fazemos para impressionar Deus, e convencer as pessoas...

Ai sim seremos plenamente LUMINOSOS, quando o conhecimento da sua graça, misturado à disposição total de sermos instrumentos dessa revelação, cheios de gratidão à Deus e amor às pessoas.

Essa é a luz que ilumina todo homem, Cristo em mim, não confessionalmente, mas ENERGETICAMENTE, queimando energia, produzindo exemplos, cheirando o suor do compromisso em forma combustão, para que minha vida comunique SUA vida de forma tão gloriosa, que a imensidão das trevas não seja capaz de deter nem mesmo a pequena luz de um fósforo!
O  auditório está repleto, os olhares atentos, o holofote apontado, para o palco de nossa existência...

LUZ, CAMERA E AÇÃO!!!

16 de setembro de 2010

QUAL É O SEU PLANO DE VIDA?



Porque tenho para mim, que Deus a nós, apóstolos, nos pôs por últimos, como condenados à morte; pois somos feitos espetáculo ao mundo, aos anjos, e aos homens. Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes;  vós ilustres, e nós vis.Até esta presente hora sofremos fome, e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa, e nos afadigamos, trabalhando  com nossas próprias mãos. Somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e sofremos;Somos blasfemados, e rogamos; até ao presente temos chegado a ser como o lixo deste mundo, e como a escória de todos.
(1Coríntios 4:09-13)

14 de setembro de 2010

AVIVANDO O DOM DE DEUS



  Na primeira carta de Paulo aos coríntios, Paulo trata como uma igreja cheia de qualificações, dons e talentos, mas cujo coração está repleto de orgulho, vaidade e divisões. Pessoas encantadas com os sinais, prodígios e milagres que o poder de Deus é capaz de operar, mas que tinham um enorme dificuldade de se relacionar com amor, humildade e carinho.
  Os coríntios queriam experiências extraordinárias (aquilo que quebra a rotina, impressiona, surpreende), mas não uma transformação sobrenatural (que muda a natureza, renova o entendimento e transforma o coração).
  Eles diziam amar a Deus, mas não conseguiam traduzir isso em amor uns aos outros. Por isso a razão de muita divisão e contendas entre eles. Por isso Paulo escreve a igreja para ensinar no capítulo 12, sobre a diversidade dos dons espirituais ,e no capítulo 13 expõe a verdadeira motivação, que dá sentido aos dons: o amor – o dom supremo.
  Mas é no capítulo 14 que ele conclui essa rica exposição, de forma objetiva e direta... “procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente que profetizeis”. (1 Co 14:01).
  Paulo quer espremer tudo que compartilhou e obter uma ação simples e prática, e essa ação é profetizar. E profetizar é falar a língua de Deus; é falar a verdade em amor,; é dizer o que edifica, profetizar é ser usado para consolar, exortar, animar, ensinar e dar direção na vida uns dos outros.
  Só que existem algumas coisas que bloqueiam o dom profético em nossa vida:
  1. A Carnalidade:

    Eu, porém, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, e sim como a carnais, como a crianças em Cristo.  Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora podeis, porque ainda sois carnais.  Porquanto, havendo entre vós ciúmes e contendas, não é assim que sois carnais e andais segundo o homem? (1 Co 3:01-03)
  Quando não estamos movidos de amor e altruísmo, quando o bem estar das pessoas não está em primeiro lugar em nossa vida, ainda somos meninos, incapazes de sermos usados por Deus. Pois somos inconstantes, melindrosos e rancorosos. Se alguém erra conosco, é o fim! E o que é o pecado senão puro egoísmo? Se quem ama é nascido de Deus, nós no fim somos salvos de nosso egoísmo.
  1. Ignorância da palavra:

“Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.” (Colossenses 3:16)


  Quando não temos nosso entendimento renovado, e não enchemos nossa mente com os pensamentos de Deus, não temos condições de sermos profetas. Pois o Espírito Santo vasculha nossos corações à procura de conteúdo, conhecimento, e palavra, mas muitas vezes não encontra em nós a substância necessária. É como se fosse aquela máquina de pegar bichinhos de pelúcia, na qual miramos a garra e apertamos o botão. Muitas vezes a “garra do Espírito” não encontra nada, pois estamos vazios, não meditamos. E mais que isso, nosso coração fica vulnerável a uma série de sentimentos que nos traem, avaliações que nos enganam e posturas que nos comprometem!
  1. Apagando o espírito:

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem. E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção. 31 Longe de vós, toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmias, e bem assim toda malícia. Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.” (Efésios 4: 29-32).


  Primeiramente é  importante entendermos que palavra torpe, não se restringe à  dizer palavrão, é muito mais que isso. Quantas vezes dizemos uns aos outros verdades ríspidas que machucam mais que mil palavrões! Palavra torpe é tudo aquilo que confunde, machuca, acusa, deturpa, desanima e desampara. Palavra torpe é anti-profecia, é exatamente o oposto.
  E devemos cuidar para que não apaguemos o Espírito(Efesios 4:30), com:
  1. Amargura: é todo sentimento represado, que não deveria ter sido retido.  É toda ofensa sofrida que bloqueia nosso coração e nos adoece. É emburrurecer (É SOFRER O MAL E ADOECER)
  2. Cólera: é mais do que reter uma ofensa, é ter uma indisposição declarada e específica para com alguém. É quando seu sangue ferve ao ouvir o nome da pessoa que te fez algum mal.  (É SOFRER O MAL E REPRODUZÍ-LO).
  3. Ira: é quando estamos tão machucados, que não precisamos de algo específico para explodirmos de raiva. Ira é um estágio avançado, no qual nos irritamos com tudo e todos, seja com razão ou não! (É O MAL NOS DOMINANDO).
  4. Gritaria: é a única e inevitável atitude de alguém embrutecido. É quando estamos tão adoecidos que o que os pessoas dizem não tem valor nenhum. E a relação está totalmente destruída. Não gritamos para sermos ouvidos, gritamos para ouvir somente nossa voz! (É O MAL-DITO).

   Mas graças a Deus, porque há cura, para todas essas enfermidades da alma, graças a Deus, pois Cristo passou pelas piores ofensas e por toda violência, e ainda assim não se deixou corromper, não bloqueou seu coração para amar. E o segredo estava num coração perdoador! E só é possível perdoar quando conhecemos o amor de Deus, e estamos convictos que o que Deus nos deu, ninguém pode comprometer, e que não há nenhum mal que não seja coberto pela força do amor e a grandeza do perdão.
   O profeta é  alguém curado, mesmo levando em seu corpo as marcas das ofensas, alguém capaz de amar sem ser correspondido, bendizer quem o maldiz, e abençoar todos sem distinção. O profeta é a voz que clama no deserto, que verbaliza o amor de Deus, que abre o caminho para o Senhor, promovendo testemunho, graça e ambiente favorável...

Profetize!

Diogo M. Naves