BEM-VINDO

Re-pensar... Re-partir... REFLETIR!







6 de outubro de 2010

A PRIMEIRA PREGAÇÃO DE JESUS...

Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus. Mateus 3:2


Quanta tolice tem sido dita a respeito desse assunto...
Arrependimento é a primeira pregação de Jesus, é a porta de entrada pra entender tudo mais que ele ensinou. De modo que se não sabemos o que é arrependimento, certamente não sabemos mais nada sobre Cristo.

Não há nada mais comum que ouvirmos: "estou arrependido do que fiz", e isso é remorso, não arrependimento... 
Quem se arrepende do que fez pensa que se tivesse outra chance faria diferente...
Quem pensa assim no fundo no fundo, acredita em si mesmo; e não há nada mais antagônico ao verdadeiro arrependimento do que isso...

O verdadeiro arrependimento não é tentar fazer melhor, é desistir de tentar...
Não é corrigir comportamento, não é domesticar o mal que habita em mim...
Um homem desgraçado não produz nada proveitoso...
Todo pecador é cego, é mal...
Então, o que fazer? Morrer...
Ser cruficicado com Cristo, pra ressucitar com ele...
Isso sim resolve!

Em outras palavras: o verdadeiro arrependimento me leva a arrepender-me de quem sou, e não simplismente do que fiz...

Arrependimento não é reciclagem! 
Arrependimento é entrar no trilho de Deus... 
É conhecer o que não conhecia, é pensar diferente, é ver com novos olhos...

Quando me arrependo eu reconheço a miserabilidade humana, e mergulho na graça divina!
Eu penetro as portas do Reino e experimento um outra dimensão da vida... 

Esse arrependimento me faz desejar tudo que Jesus tem pra oferecer...
A graça que renova o entendimento, transforma o coração, e lava a consciência...

Logo eu destesto não só o que fiz e faço de errado, mas principalmente minha condição primata  e pecadora... 
Eu desisto de mim mesmo e tomo minha cruz, ao invés de pedir mais uma chance...
Eu choro minha ignorância, ao invés tentar consertar meus erros...

E assim me torno absolutamente grato, desejando como recém nascido a natureza de Deus, se fundido incontidamente à minha.
Eu uso minha nova vida, pra revelar que TUDO era NADA... E Cristo é tudo... 
Isso sim é arrependimento... ARREPENDA-SE, POIS É CHEGADO A VÓS O REINO!

Diogo M. Naves

5 de outubro de 2010

QUAL SUA MEDIDA?



O MEDIDA DE UM HOMEM É DO TAMANHO DE SEU AMOR... 
Diogo M. Naves

ALELUIA


video


Eu soube que havia um acorde secreto
Que Davi tocava, e que agradava o Senhor
Mas você não liga muito para música, não é?
E assim vai a quarta, a quinta,
O acorde menor cai, e o acorde maior sobe,
O rei frustrado compõe Aleluia...
Aleluia (4x)


Sua fé era forte, mas precisava de provas
Você a viu tomando banho do telhado
A beleza dela e o luar arruinaram você
Ela amarrou você à sua cadeira da cozinha
Ela destruiu seu trono, e cortou seu cabelo
E dos seus lábios ela tirou um Aleluia


Aleluia (4x)


Você diz que eu levei o nome em vão
Eu nem sequer sei o nome
Mas se eu fiz, bem, realmente, o que é isso para você
Há um clarão de luz em cada palavra
Não importa se você ouviu
O santo ou o doente Aleluia


Aleluia (4x)


Eu fiz o meu melhor, não foio suficiente
Eu não podia sentir, então eu tentei tocar
Eu disse a verdade, eu não vim te enganar
E mesmo que tudo deu errado
Eu estarei diante do Senhor da Canção
Com nada na minha língua, apenas... Aleluia


Aleluia...
Aleluia (por Matt Morris)

28 de setembro de 2010

EU SOU UM BOSS...TA



Porque eu sou o menor dos apóstolos,
que não sou digno de ser chamado apóstolo,
pois que persegui a igreja de Deus. 1 Coríntios 15:9

Embora eu seja o menor dos menores dentre todos os santos,
foi-me concedida esta graça de anunciar aos gentios
 as insondáveis riquezas de Cristo Efésios 3:8

Esta afirmação é fiel e digna de toda aceitação:
Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores,
dos quais eu sou o pior. 1 Timóteo 1:15


Aqui vemos o progresso espiritual do apóstolo Paulo...

1) menor dos apóstolos
2) menor de todos os santos
3) pior dos pecadores

Essa foi sua jornada espiritual e ministérial... uma literal queda livre! Decrescente...

Apóstolo > santo > pecador...

Quanto mais ele conhecia a Cristo, menor ele se sentia, menos amor próprio, menos apego à hierarquia...
Quanto mais experimentava o poder de Deus, mais ele entendia que precisava diminuir...
Quanto mais vivenciava a graça, mais gratidão tinha, e com mais amor retribuia!

Paulo cresceu, enquanto diminuia...
Se fortalecia, nas dificuldades...
Se gloriava nas fraquezas...

Paulo alcançou o alvo da soberana vocação: combateu o bom combate (contra o pecado), acabou a carreira (do testemunho) e guardou a fé (com bom testemunho).

Ele viveu Cristo!
Sem propriedades, carros importados, mansões em con-demônios fechados...
Ele não perdia tempo, não desperdiçava energia, e muito menos desfocava de sua missão: "fazer tudo para com todos para de alguma forma ganhar alguns..."

Ele entendeu que os últimos são os primeiros e quem quiser salvar a sua vida a perderá!
Que não adianta ganhar o mundo inteiro e perder sua alma!
E que no fim, o maior é aquele que serve!

O resto é mentira religiosa, farisaica e evangélica...

24 de setembro de 2010

OVERDOSE DA GRAÇA COM SANTO AGOSTINHO

Aurélio Agostinho

Agostinho é uma das figuras mais importantes no desenvolvimento do cristianismo no Ocidente. Em seus primeiros anos, Agostinho foi fortemente influenciado pelo maniqueísmo e pelo neoplatonismo de Plotino,[3] mas depois de tornar-se cristão (387), ele desenvolveu a sua própria abordagem sobre filosofia e teologia e uma variedade de métodos e perspectivas diferentes.[4] Ele aprofundou o conceito de pecado original dos padres anteriores e, quando o Império Romano do Ocidente começou a se desintegrar, desenvolveu o conceito de Igreja como a cidade espiritual de Deus (em um livro de mesmo nome), distinta da cidade material do homem.[5] Seu pensamento influenciou profundamente a visão do homem medieval. A Igreja se identificou com o conceito de "Cidade de Deus" de Agostinho, e também a comunidade que era devota de Deus.[6]
Na Igreja Católica, e na Igreja Anglicana, é considerado um santo, e um importante Doutor da Igreja, e o patrono da ordem religiosa agostinha. Muitos protestantes, especialmente calvinistas, o consideram como um dos pais teólogos da Reforma Protestante ensinando a salvação e a graça divina.
Santo Agostinho é chamado de o Doutor da Graça, por sua compreensão sobre o tema.

"TARDE VOS AMEI,
Ó BELEZA TÃO ANTIGA E TÃO NOVA,
TARDE VOS AMEI!
EIS QUE HABITÁVEIS DENTRO DE MIM,
E EU, LÁ FORA, A PROCURAR-VOS!
DISFORME, LANÇAVA-ME SOBRE ESTAS FORMOSURAS QUE CRIASTES.
ESTÁVEIS COMIGO E EU NÃO ESTAVA CONVOSCO!
RETINHA-ME LONGE DE VÓS
AQUILO QUE NÃO EXISTIRIA,
SE NÃO EXISTISSE EM VÓS.
PORÉM, CHAMASTES-ME,
COM UMA VOZ TÃO FORTE,
QUE ROMPESTES A MINHA SURDEZ!
BRILHASTES, CINTILASTES,
E LOGO AFUGENTASTES A MINHA CEGUEIRA!
EXALASTES PERFUME:
RESPIREI-O, A PLENOS PULMÕES, SUSPIRANDO POR VÓS.
SABOREEI-VOS
E, AGORA, TENHO FOME E SEDE DE VÓS.
TOCASTES-ME
E ARDI, NO DESEJO DA VOSSA PAZ"

CRISTIANISMO SEM PODER (A. W. TOZER)


“Um cristianismo sem poder não faz nenhuma diferença fundamental na vida de um homem. A água pode mudar de líquido para vapor, de vapor para neve e de novo para líquido, e continua fundamentalmente sendo a mesma coisa. Assim, o cristianismo sem poder faz no homem diversas mudanças superficiais, porém, deixando-o exatamente igual ao que era antes”.
A. W. TOZER

23 de setembro de 2010

Luz, camera, ação...

video

Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam
as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.
(Mateus 5:16)

Jesus revolucionou a proposta religiosa da humanidade...
Suas palavras nos trouxe uma visão de Deus incomparável...
Foi o óculos 3 D da época!

Todas as outras religiões tiveram suas versões sobre Deus, e todas elas apontavam para Deus, dizendo: "Aquele é o caminho para Deus, siga-O";
Mas Jesus, por sua vez disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida".
Deus não estava do lado de fora, em algum lugar, estava dentro... Estava Nele, era Ele!

E sendo a luz que ilumina todo homem, Ele foi ainda mais fundo na existência humana, e nos disse:
"Vós sois a luz do mundo", e ficamos boquiabertos, sobressaltados e atônitos...
Eu??? Sim, você!

Um Deus que não somente existe, mas no qual coexistimos...
Que conhecemos e experenciamos, muito mais que simplesmente experimentamos...
Pois temos plena relação e intimidade!

Essa proposta revolucionária,  fala de um Deus que não somente me ilumina, mas que torna LUMINOSO...
Eu não somente recebo dessa luz, mas a reflito...
Não é uma luz absorvida ou uma energia retida, é um convite para gastar-se, queimar-se, comunicar-se, iluminando tal qual fomos iluminados...

Salvação não é a perturbadora sensação de acender um fósforo na mais completa escuridão,
e cuidar de todas as maneiras para que ele não se apague com o vento...
Salvação não é guardar nossa luz, é disseminá-la...

Salvação é a geração de energia viva, um esforço de produção incontida de testemunho do que Deus fez e faz, por mim, em mim, e através de mim, para alcançar a todos...

Salvação é a junção do comburente da graça,  com o combustível do Espírito  e a Energia da vida - que são as circunstâncias que Deus usa, como ambiente propício, o lugar estratégico e o momento exato, para enfim entrarmos em combustão e revelarmos a vida de Deus em nós.
Traduzirmos tudo que Deus é, sua vontade perfeita, seu amor incondicional, sua sabedoria gloriosa, em forma de TESTEMUNHO EFICAZ.

Quando associamos esses elementos Glorificamos a Deus, à medida em que as pessoas vêem as BOAS OBRAS que Deus opera através de nós, e não as Obras Boas que nós fazemos para impressionar Deus, e convencer as pessoas...

Ai sim seremos plenamente LUMINOSOS, quando o conhecimento da sua graça, misturado à disposição total de sermos instrumentos dessa revelação, cheios de gratidão à Deus e amor às pessoas.

Essa é a luz que ilumina todo homem, Cristo em mim, não confessionalmente, mas ENERGETICAMENTE, queimando energia, produzindo exemplos, cheirando o suor do compromisso em forma combustão, para que minha vida comunique SUA vida de forma tão gloriosa, que a imensidão das trevas não seja capaz de deter nem mesmo a pequena luz de um fósforo!
O  auditório está repleto, os olhares atentos, o holofote apontado, para o palco de nossa existência...

LUZ, CAMERA E AÇÃO!!!

16 de setembro de 2010

QUAL É O SEU PLANO DE VIDA?



Porque tenho para mim, que Deus a nós, apóstolos, nos pôs por últimos, como condenados à morte; pois somos feitos espetáculo ao mundo, aos anjos, e aos homens. Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes;  vós ilustres, e nós vis.Até esta presente hora sofremos fome, e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa, e nos afadigamos, trabalhando  com nossas próprias mãos. Somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e sofremos;Somos blasfemados, e rogamos; até ao presente temos chegado a ser como o lixo deste mundo, e como a escória de todos.
(1Coríntios 4:09-13)

14 de setembro de 2010

AVIVANDO O DOM DE DEUS



  Na primeira carta de Paulo aos coríntios, Paulo trata como uma igreja cheia de qualificações, dons e talentos, mas cujo coração está repleto de orgulho, vaidade e divisões. Pessoas encantadas com os sinais, prodígios e milagres que o poder de Deus é capaz de operar, mas que tinham um enorme dificuldade de se relacionar com amor, humildade e carinho.
  Os coríntios queriam experiências extraordinárias (aquilo que quebra a rotina, impressiona, surpreende), mas não uma transformação sobrenatural (que muda a natureza, renova o entendimento e transforma o coração).
  Eles diziam amar a Deus, mas não conseguiam traduzir isso em amor uns aos outros. Por isso a razão de muita divisão e contendas entre eles. Por isso Paulo escreve a igreja para ensinar no capítulo 12, sobre a diversidade dos dons espirituais ,e no capítulo 13 expõe a verdadeira motivação, que dá sentido aos dons: o amor – o dom supremo.
  Mas é no capítulo 14 que ele conclui essa rica exposição, de forma objetiva e direta... “procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente que profetizeis”. (1 Co 14:01).
  Paulo quer espremer tudo que compartilhou e obter uma ação simples e prática, e essa ação é profetizar. E profetizar é falar a língua de Deus; é falar a verdade em amor,; é dizer o que edifica, profetizar é ser usado para consolar, exortar, animar, ensinar e dar direção na vida uns dos outros.
  Só que existem algumas coisas que bloqueiam o dom profético em nossa vida:
  1. A Carnalidade:

    Eu, porém, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, e sim como a carnais, como a crianças em Cristo.  Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora podeis, porque ainda sois carnais.  Porquanto, havendo entre vós ciúmes e contendas, não é assim que sois carnais e andais segundo o homem? (1 Co 3:01-03)
  Quando não estamos movidos de amor e altruísmo, quando o bem estar das pessoas não está em primeiro lugar em nossa vida, ainda somos meninos, incapazes de sermos usados por Deus. Pois somos inconstantes, melindrosos e rancorosos. Se alguém erra conosco, é o fim! E o que é o pecado senão puro egoísmo? Se quem ama é nascido de Deus, nós no fim somos salvos de nosso egoísmo.
  1. Ignorância da palavra:

“Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.” (Colossenses 3:16)


  Quando não temos nosso entendimento renovado, e não enchemos nossa mente com os pensamentos de Deus, não temos condições de sermos profetas. Pois o Espírito Santo vasculha nossos corações à procura de conteúdo, conhecimento, e palavra, mas muitas vezes não encontra em nós a substância necessária. É como se fosse aquela máquina de pegar bichinhos de pelúcia, na qual miramos a garra e apertamos o botão. Muitas vezes a “garra do Espírito” não encontra nada, pois estamos vazios, não meditamos. E mais que isso, nosso coração fica vulnerável a uma série de sentimentos que nos traem, avaliações que nos enganam e posturas que nos comprometem!
  1. Apagando o espírito:

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem. E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção. 31 Longe de vós, toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmias, e bem assim toda malícia. Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.” (Efésios 4: 29-32).


  Primeiramente é  importante entendermos que palavra torpe, não se restringe à  dizer palavrão, é muito mais que isso. Quantas vezes dizemos uns aos outros verdades ríspidas que machucam mais que mil palavrões! Palavra torpe é tudo aquilo que confunde, machuca, acusa, deturpa, desanima e desampara. Palavra torpe é anti-profecia, é exatamente o oposto.
  E devemos cuidar para que não apaguemos o Espírito(Efesios 4:30), com:
  1. Amargura: é todo sentimento represado, que não deveria ter sido retido.  É toda ofensa sofrida que bloqueia nosso coração e nos adoece. É emburrurecer (É SOFRER O MAL E ADOECER)
  2. Cólera: é mais do que reter uma ofensa, é ter uma indisposição declarada e específica para com alguém. É quando seu sangue ferve ao ouvir o nome da pessoa que te fez algum mal.  (É SOFRER O MAL E REPRODUZÍ-LO).
  3. Ira: é quando estamos tão machucados, que não precisamos de algo específico para explodirmos de raiva. Ira é um estágio avançado, no qual nos irritamos com tudo e todos, seja com razão ou não! (É O MAL NOS DOMINANDO).
  4. Gritaria: é a única e inevitável atitude de alguém embrutecido. É quando estamos tão adoecidos que o que os pessoas dizem não tem valor nenhum. E a relação está totalmente destruída. Não gritamos para sermos ouvidos, gritamos para ouvir somente nossa voz! (É O MAL-DITO).

   Mas graças a Deus, porque há cura, para todas essas enfermidades da alma, graças a Deus, pois Cristo passou pelas piores ofensas e por toda violência, e ainda assim não se deixou corromper, não bloqueou seu coração para amar. E o segredo estava num coração perdoador! E só é possível perdoar quando conhecemos o amor de Deus, e estamos convictos que o que Deus nos deu, ninguém pode comprometer, e que não há nenhum mal que não seja coberto pela força do amor e a grandeza do perdão.
   O profeta é  alguém curado, mesmo levando em seu corpo as marcas das ofensas, alguém capaz de amar sem ser correspondido, bendizer quem o maldiz, e abençoar todos sem distinção. O profeta é a voz que clama no deserto, que verbaliza o amor de Deus, que abre o caminho para o Senhor, promovendo testemunho, graça e ambiente favorável...

Profetize!

Diogo M. Naves

26 de agosto de 2010

"ESPIRITISMO GOSPEL"



Ultimamente tivemos o lançamento da biografia do Filme sobre Chico Xavier nos cinemas do Brasil e vimos toda uma movimentação nesse sentido. E quando olhamos para o meio evangélico percebemos uma aversão declarada às doutrinas Cardecistas de reencarnação e psicografia. Mas o surpreendente é não é difícil encontrarmos algumas declarações de fé bastante espiritualistas, ou seja, pseudo-espirituais que apregoam algo muito semelhante no que diz respeito a ser: ”usado por Deus”.


Quando pensamos nos corriqueiros jargões evangélicos sobre ser usado por Deus, logo vêm à nossa mente:

- “ser um canal de Deus”,
- “ser um vaso”
- ou até mesmo ser um “instrumento” na mão de Deus.

Diga-se de passagem que se alguém ousar questionar essas declarações sofrerá duras críticas. Com certeza, essas perspectivas são de fato, vastamente encontradas no antigo testamento que é a velha aliança. Mas o autor de Hebreus chama essa forma de enxergar a ação de Deus como sendo “sombras” da revelação plena que está em Cristo. São apenas figuras incompletas, alegorias embaçadas que não traduzem plenamente as coisas como são. (Hb 01:01-02).


À luz do Novo Testamento essas figuras já não fazem mais sentido, são vazias de significado e aplicação. Pense comigo: Será que somos o cano pelo qual Deus passa, e no fim Ele é água e nós continuamos a sermos puro cano? Será que somos esse instrumento que Deus usa porque não ter outra alternativa melhor? Como se Ele dependesse de nós para comunicar o que quer? Ou será que essa é apenas uma sombra que se foi, e em Cristo fomos iluminados para um conhecimento mais profundo e intimo de quem Deus é em nós, e através de nós?


Vemos no novo testamento que:


- Ele quer transformar-nos na imagem de sua Glória;

"Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor. (2 Co 3:18)"

- Quer que nós recebamos de sua natureza divina;


“Pelas quais ele nos tem comunicado as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis participantes da natureza divina, tendo escapado da corrupção que há no mundo pela cobiça.” (2 Pe 1:04)
- E quer que nós sejamos nesse mundo tal qual Ele é, em amor...


“O amor é perfeito em nós, para que tenhamos coragem no dia do juízo; porque assim como ele é, nós somos também neste mundo.“ (1Jo 4:17).

Somos de fato seus filhos, e não seus empregados, somos herdeiros de sua natureza. Cristo que era o Unigênito tornou-se o Primogênito (o primeiro de uma nova gênese), portanto agora em Cristo somos novas criaturas, temos a mesma natureza, somos da mesma espécie daquele que nos comprou com Seu precioso sangue.


“Porque os que dantes conheceu, também predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele fosse o primogênito entre muitos irmãos;” (ROM 8:29)
Temos sua mente, pois fomos renovados no entendimento, temos seu coração, pois nascemos da água e do espírito. E agora já não somos mais nós quem vivemos, mas Cristo vive em nós! Esse é o mistério do evangelho: Cristo em nós!!! Não é Cristo para mim, ou Cristo comigo, é em mim! Anulando a velha vida e revestindo-a com novidade; é a divindade na casca humana, mas é divindade! É um tesouro em vasos de barros sim, mas mediante uma transformação incontida de glória em glória, de fé em fé, até que sejamos maduros, plenos em nossa consciência, e aptos para toda boa obra, chegando à medida de Cristo.


“até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, ao estado de homem feito, à medida da estatura da plenitude de Cristo.” (Ef 4:13).
Chega de desculpas infindáveis, de que Ele quer te usar apesar de você... Isso é mentira!
Ele quer te transformar, mudar seu caráter, suas prioridades, sua mentalidade, suas preferências, e ocasionalmente acaba sendo inevitável que as pessoas vejam a glória de Deus em sua vida, e queriam o mesmo para suas vidas. Porque, caso contrário, as pessoas continuariam viver em seus pecados e ignorância, pois, se até quem conhece Deus não muda, porque eles deveriam? Que Deus frágil e impotente seria esse...


Nós somos a própria mensagem, nós somos a carta viva que as pessoas estão lendo, e nossa esperança é que elas vejam Deus em nós, e não um cano sujo, um violão desafinado, ou um vaso rachado! Aleluia!

QUE EVANGELHO É ESSE GOIÂNIA??








Em tempos de modismo Gospel, onde a Igreja brasileira está entorpecida por seus números grandiosos, envaidecida por sua força midiática, e repleta de uma legião de “profetas-músicos” e apóstolos de multidões, recebemos uma notícia bombástica, nua e crua...

Segundo estatística recente da ONU, Goiânia seguida de Belo Horizonte – as cidades mais evangelizadas e evangélicas do Brasil – que foram berços de avivamento jovem e da adoração, ficaram respectivamente em 10° e 13° lugar no ranking mundial de desigualdade social, em outras palavras: Goiânia é 10ª cidade em índice de desigualdade social do mundo! E a cidade mais desigual do Brasil!


Eu sei que para alguns, esses dados não foram, de forma alguma, uma surpresa. Porque somos o que cremos, e cremos o que pregamos e ouvimos. E obviamente o evangelho do Reino não tem sido pregado em sua plenitude. Pois é incontestável que o tripé da Igreja é paz, alegria e justiça.


A PAZ de termos sidos reconciliados com Deus e com nossos irmãos; a ALEGRIA de termos sido transformados e curados; e por fim JUSTIÇA, que é a incapacidade de reter, represar tudo aquilo que recebemos de Deus, como sendo estritamente nosso. 


Em Isaías 58 Deus afirma claramente que a verdadeira espiritualidade é comprovada e quantificada pelas nossas boas obras de justiça que geram igualdade.


Mas antes de cometer a estultícia de uma vez mais lavarmos nossas mãos, e dizermos que justiça social é responsabilidade do Governo, deveríamos nos perguntar... Como uma cidade com mais de 30% de evangélicos, e repleta de Igrejas, apresenta números tão deploráveis? COMO PODE SER?


Quantos de nós choramos ao ler essas notícias? Quantos foram contristados? Quantos ficaram indignados ao saber dessa estatística?


Rodeado de tantas campanhas, por que não lançamos a Campanha do Jovem Rico? – “doe seus bens e o reparta com os pobres” – ou a campanha de Barnabé: doe e tudo e te darei um discípulo que evangelizará todas as nações do mundo...”


Com certeza não ouso generalizar, e por todos no mesmo saco, mas ao menos refletir sobre nosso testemunho como Igreja em Goiânia. Não há como negar que as igrejas estão cheias porque somos persuasivos em palavras, convincentes no discurso, mas inoperantes socialmente!


No fundo, no fundo me pergunto se, sem nós a cidade seria melhor... Talvez se a metade de nós fosse fulminada, como Ananias e Safira, por amar mais aos bens do que aos irmãos, haveria mais esperança para a nossa geração...


Não podemos aceitar isso como mais uma manchete e deixar esse testemunho à próxima geração, eu não quero fazer parte dessa história vergonhosa, pois nós jovens não estamos dispostos a dar a vida por essa caricatura medíocre do evangelho...


Eu oro para que Deus levante os gigantes adormecidos...
Os pequenos Davi’s cheios de integridade e sensibilidade...
Os Salomão’s que pedem sabedoria para cuidar de pessoas e não de suas posses...


Que Deus levante profetas jovens, que certamente darão a vida para limpar essa mancha e mudar essa história, de uma Igreja que se diz rica, bem vestida, e visionária, mas que é pobre, nua e cega... Que venha o Reino de Deus e que tudo seja abalado!!!
 Quem tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Espírito e a ONU diz a Igreja!